quarta-feira, 14 de junho de 2017

Monadenium




   Esta postagem é compartilhada, ou seja feita a partir da nossa experiência com a monadenium. 


  O gênero Monadenium, é uma suculenta bem diferenciada para se aumentar a coleção visando diferenças que ela tem sendo muito atraente.
  São colunares podendo ter um efeito pendente no vaso, e seu sistema radicular é formado por pequenas protuberâncias.

  Pertencente à família das euforbiáceas citamos aqui uma pequena lista de algumas espécies que compreende este gênero como: Monadenium Guenteri, Monadenium Stapelióides, Monadenium heteropodium, monadenium Ellenbeckii, Monadenium Gillette, Monadenium Reflexum entre outros.

  Tolera frio ameno, caindo as folhas quando entra em dormência, mas não chega a ser uma regra pois, espécies deste mesmo gênero podem ter períodos de dormência no verão, a queda das folhas é um indício de sua dormência.


  Não tolera solo encharcado, então deixar o solo secar completamente até a próxima rega é essencial, para evitar o apodrecimento.
  Exige muita luz e até exposição solar por no máximo três horas, o sol da manhã é o perfeito para ela, e então seguir as próximas horas á meia sombra com nossos exemplares estão.  O solo deve ter pedriscos ou areia para que tenha uma boa drenagem.

  Sua coloração fica avermelhada quando exposta ao sol pleno, pelo estresse que a planta sofre, e na sombra a presença da clorofila fica evidente pelo seu tom verde intenso.

  Originaria da África Oriental, ela gosta de rega semanal no verão desde que a próxima rega o substrato esteja seco, e no inverno a rega deve ser moderada a ponto de espaçar o máximo possível de tempo para uma nova rega.

  O caule destas plantas ainda é curto, por serem jovens, porém cresce consideravelmente, tem protuberâncias em todo caule desde a base até a ponta, onde se originam um conjunto de folhas e onde também nasce a floração.

  As folhas são duras e as novas brotações originam da base da planta mãe e também no decorrer do caule quando a planta vai ficando mais velha.


  O cultivo é fácil, cuidando para não exagerar na rega é claro, não necessita de adubação constante, sendo assim uma planta bastante rústica.


  Também tem uma seiva leitosa que a torna uma planta tóxica também é uma característica bastante forte na família das euforbiáceas.

   Texto por Simone Felic e Fran natura.





Confira o blog da Simone Felic:

Texto por: Simone Felic e Fran natura.
Imagens por: Simone Felic

Obrigada pela leitura!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Custom Search